BIG DATA: CONHEÇA A DEFINIÇÃO E A APLICABILIDADE  PARA O MARKETING

BIG DATA: CONHEÇA A DEFINIÇÃO E A APLICABILIDADE PARA O MARKETING

Big data é um termo relativamente novo por isso algumas empresas ficam receosas de usar. Esse artigo visa esclarecer particularidades dessa prática, prover exemplos e ajudar você a pensar em como e se há aplicação para a sua empresa. Boa leitura.

Big data são dados multivariados e de elevada dimensão, geralmente criados em tempo real e apresentam um crescimento exponencial (na escala temporal), nomeados de megadados. Os principais usuários do Big Data são empresas que manipulam grandes volumes de dados de clientes como magazines de venda online, plataformas como Netflix, todas as redes sociais  e assim por diante. Mas vamos explicar as principais características através dos 5Vs:

  • Volume: relacionado à grande quantidade de dados gerados;
  • Variedade: as fontes de dados são muito variadas, o que aumenta a complexidade das análises;
  • Velocidade: Devido ao grande volume e variedade de dados, todo o processamento deve ser ágil para gerar as informações necessárias;
  • Veracidade: A veracidade está ligada diretamente ao quanto uma informação é verdadeira;
  • Valor: Este conceito está relacionado com o valor obtido desses dados, ou seja, com a “informação útil”.

Como se Coletam os Dados para se Fazer um “Mapa”?

Não há uma receita, pois cada empresa tem sua estrutura, tamanho, objetivos, etc. Vamos citar o exemplo de uma fabrica de perfumes e cosméticos que tem centenas de lojas franqueadas pelo Brasil e pelo mundo. A empresa pode usar aplicativos, cartões de fidelidade e como o grupo Boticário que utiliza que big data e machine learning: prateleiras inteligentes, que otimizam a relação do cliente com o produto, além da organização dos displays. Os algoritmos identificam qual o produto que foi manipulado e se ele foi levado pelo cliente ou se voltou à prateleira e se está no lugar certo de exposição. Isso é possível graças a várias micro câmeras instaladas nas prateleiras, se interagem entre si.

loja com sensores ligados a câmeras enviam dados para uma central.

Ao analisar os dados, a empresa consegue responder as seguintes questões: É possível tirar insights da manipulação dos produtos por parte dos clientes avaliando aqueles que são retirados da prateleira, mas colocados de volta. Quantas vezes isso acontece? Por que estão devolvendo aquele produto? O que está errado com ele? Exemplo dado,  você pode concluir que o uso do big data é adaptável e qualquer segmento, desde que se enquadre nos 5Vs.

Qual a Diferença entre Dados e Informações?

Quanto mais dados são gerados, maior é o esforço para extrair informações. Por quê? Os dados são apenas dados ou eventos, enquanto as informações se originam a partir da estruturação dos dados, cruzamentos e análises. O

Os centros de dados tiveram que aprender a lidar com o crescimento exponencial de dados gerados e tiveram que desenvolver ferramentas que fossem para além de bancos de dados relacionais e sistemas paralelos de bancos de dados. Sendo assim, a velocidade para obter a informação faz parte do sucesso que o big data pode proporcionar em sua empresa.

Internet das coisas

Atualmente, a Internet das Coisas mudou a forma como os dados são gerados, aumentando de forma considerável a quantidade de dados gerados. Todos esses objetos físicos da Internet das Coisas são capazes de coletar e transmitir dados, não estruturados que não podem ser armazenados e processados por banco de dados comuns.

Se sua empresa trabalha ou precisa trabalhar com dados de mercado e não sabe como estrutura-los ou estabelecer interfaces, converse com um especialista para desenvolver uma aplicação com esse objetivo.  Transforme dados em informações valiosas para a sua tomada de decisão.

Deixe uma resposta